Vamos colocar na prática e testar.

Fomos avaliar e testar algumas dicas sobre como escrever textos que “colem” a atenção dos leitores no ecrã.

O truque pode estar na utilização de um bom catch, curto e rápido, que transmita valor. Ou seja, um bom título e um subtítulo claro e interessante. Estes são as chaves fundamentais para manter a atenção e promover a leitura do seu artigo de blog.

O copywriting é um termo inglês utilizado para definir a técnica de escrever textos persuasivos nas mais diversas áreas e vertentes possíveis. Um bom copywriter é alguém que consegue captar a atenção das pessoas na leitura do seu conteúdo. O objectivo final é sempre captar o leitor por tempo suficiente, para seja possível promover uma eventual conversão.

De acordo com as estatísticas da box.com, os utilizadores que passam 3 minutos a ler um artigo de um blog, têm 2 vezes mais probabilidade de regressar do que os que passam apenas 1 minuto.

Mas lutamos contra a falta de tempo! Estamos perante um público que já não tem tempo para ler, e que ao mesmo tempo está exposto a uma quantidade de informação tremenda. Como podemos então prender a sua atenção?

Uma das dicas passa por usar conteúdo mais longo, superior a 2000 palavras. Mas não será esta uma ideia contraproducente? Falta de tempo e textos mais longos? Para alguns nomes bem conhecidos na área do digital, os textos mais curtos funcionam na perfeição. Tudo depende do tema, do owner, do reconhecimento.

Não existe uma técnica eficaz para todos os casos. Vamos focar-nos na meta individual de cada um: fazer com que os leitores encontrem o nosso conteúdo e façam scroll ao longo de toda a informação do nosso Blog.

Existem assim duas premissas a considerar na construção de bom conteúdo:

  • 1ª Ser apelativo para o leitor, conquistar a atenção logo no primeiro momento;
  • 2ª Resolver um problema em particular, demonstrando efectivamente que o descrito pode ajudar na solução de algo.

SEO

Mas existem outras questões a considerar, e de acordo com o blog Copyblogger:

“Content that creates happy searchers will be content that makes Google look smart for finding it.”

https://www.copyblogger.com/simple-seo-copywriting/

Afinal não estamos só a escrever para pessoas, embora estas sejam a nossa prioridade. Os motores de pesquisa representam hoje um factor essencial na entrega de conteúdo. Este é o motivo pelo qual o SEO é uma parte essencial nas técnicas de copywriting.

O SEO é um método de optimização de conteúdo para os motores de pesquisa. O objetivo é obter um melhor ranking para o nosso site numa relação comparativa com conteúdos de outros sites.

De um modo muito geral, a importância do SEO reflecte-se quando pesquisamos keywords. Quando seleccionamos keywords chave para o nosso conteúdo, utilizamos essas mesmas keywords na escrita do nosso conteúdo. Posteriormente, outras pessoas podem também utilizar e partilhar esse conteúdo nas redes sociais, em blogs próprios ou outras plataformas.

A pesquisa de keywords pode ser feita utilizando ferramentas simples como o Google Keyword Planner.

Na perspectiva do motor de pesquisa Google, as páginas são disponibilizadas nos resultados de pesquisa em função da sua autoridade e relevância. Na vertente da relevância são considerados vários factores entre os quais a repetição de determinadas palavras chave. Na vertente da autoridade são contabilizados, entre outros, o número de links que direccionam para essas páginas e a confiança desses mesmos links. Os links são como votos!

Ao nível da análise de SEO podemos utilizar algumas ferramentas que permitem a análise do nosso conteúdo em função das nossas keywords, por exemplo o Swonkie. Na criação de post para o nosso blog é possível solicitar a análise de SEO de todo o nosso conteúdo de forma prática e intuitiva. Uma outra vantagem é que toda a construção e publicação do nosso post pode ser efectuada directamente pela plataforma.

Fórmulas

Voltando à construção e arquitectura de conteúdo. Existem inúmeras fórmulas que prometem tornar o copy muito melhor!

São elas:

  • AIDA (Atenção, Interesse, Desejo, Ação)
  • PAS (Problema, Agitação, Solução)
  • PAPA ( Problema, Vantagens, Provas, Ação
  • QUEST (Qualidade, Entendimento, Educação, Estimulo, Transição)
  • SLAP (Parar, Ver, Agir, Comprar)
  • AIDPPC (Atenção, Interesse, Descrição, Persuasão, Prova, Fecho)

Seja em artigos em blog, mailing ou websites, estas são algumas técnicas que podem resultar bem na construção dos seus conteúdos.

Vamos espreitar o exemplo AIDPPC no website do Swonkie:

Atenção : Somos uma Plataforma de Gestão de Redes Sociais para as Agências Digitais do Futuro
Persuasão: Veja quem confia em nós todos os dias
 Descrição: O que pode encontrar no Swonkie, as nossas funcionalidades
Interesse: No Swonkie consegue agendar stories no Instagram
Prova: Os testemunhos dos nossos clientes
Fecho: Crie uma conta Grátis

Linguagem

Às fórmulas junta-se a utilização de uma linguagem forte, uma escrita que prende a atenção de tal forma que o leitor mal se apercebe do tempo a passar. Um verdadeiro desafio!

O truque pode passar pela utilização de palavras fortes, inspiradoras, que provoquem emoção, entusiasmo e ação. Um bom exemplo da utilização desta técnica são por exemplo alguns dos memoráveis discursos de políticos da nossa história. Como o de Martin Luther King, onde ao conteúdo do dia a dia se juntam palavras envolventes, triggers que nos fazem de facto sentir algo, que facilitam a identificação com uma qualquer situação, experiência ou problema.

Um exemplo da importância do efeito da linguagem é por exemplo:

As dicas deste artigo são cruciais para facilitar todo o trabalho enquanto copywritter.

Assertividade

Na sua essência a dica da assertividade passa por dizer muito com muito pouco! Ser conciso, directo e prático.

É aqui que se inserem as técnicas de escrita em função da resolução de um problema, dicas práticas, conteúdos informativos que se iniciam já colocando o problema bem presente no seu título, como “Os mais procurados…”, “As melhores práticas de…”, “Dicas sobre…”, “As três melhores formas de…”.

Estes são tópicos de grande procura, pela sua aproximação prática a contextos reais, a problemas diários, relativamente a temas sobre os quais o leitor tem uma grande probabilidade de ter interesse. Uma das técnicas a utilizar para eleger os temas na criação de conteúdos, passa por perceber quais as questões que são colocadas nos motores de pesquisa sobre um determinado tema e tentar dar resposta às mesmas. Por exemplo, sobre “copywriting”, são colocadas as seguintes questões:

answerthepublic.com

Aplicações

Uma das regras de ouro a seguir é nunca publicar o primeiro rascunho. Há sempre algo a melhorar!

Agora que a escrita está perfeita, o SEO está verificado, os dados estão no nosso conteúdo, resta perceber se a leitura será fácil.

Há várias ferramentas que podem ajudar a verificar a facilidade de leitura do nosso copy. Nós fomos testar o hemingwayapp.

Esta ferramenta verifica a ortografia e também verifica a construção das frases numa vertente de leitura.

Por exemplo, este pequeno texto tem uma boa leitura, sendo o seu grau de dificuldade de 5. Quanto menor o grau de dificuldade, mais fácil será o entendimento por parte de qualquer pessoa, independente do seu grau de formação na área.

hemingwayapp.com

Conclusão

O copywriting é como um concurso! Temos apenas uns segundos para reter a atenção/vencer.

Podemos reter todas as dicas e colocar em prática, mas um ponto a não esquecer é o público! Para quem estamos a escrever, e o seu interesse ou não sobre o tema.

Quanto mais tempo conseguirmos reter o leitor maior a probabilidade de garantir o seu retorno e eventualmente conseguir a conversão pretendida.

E não esquecer que o bom copywriting demora o seu tempo.

Nós já colocamos algumas destas dicas em prática aqui. Agora vamos medir os nossos resultados e perceber se resultou 🙂

E você que dicas utiliza?

Coloque as suas dicas em prática utilizando o Swonkie, a Plataforma de Gestão de Redes Sociais que o vai ajudar a projetar os seus resultados nas Redes Sociais.